Home / Noticias / 07.04/2016 16:02h

Conjur: OAB/RS reage a restrição de sustentação oral em Câmara Criminal

07/04/2016 16:02h | Atualizada em 29/11/2021 15:07h

Confira a matéria do site Consultor Jurídico repercutindo a atuação da seccional gaúcha, que encaminhou ofício ao TJRS contra a limitação aos advogados.

Uma emenda ao Regimento Interno do Tribunal de Justiça do Rio Grande do Sul, para adequá-lo ao novo Código de Processo Civil, limita a admissão de sustentação oral somente nas hipóteses previstas do novo CPC e do Código de Processo Penal. E a seccional gaúcha da Ordem dos Advogados do Brasil reagiu ao que entende ser uma ofensa à ampla defesa.

Em ofício encaminhado à direção da Corte, a OAB/RS pede a derrubada do Comunicado da 1ª Câmara Criminal, baseado na Emenda, que proíbe a sustentação oral. A exceção fica para os recursos em sentido estrito (que não tenham sido interpostos em decisões denegatórias de habeas corpus) e nos recursos de Apelação. O Comunicado com a nova norma vigora desde o dia 23 de março e foi assinado pelo desembargador Sylvio Baptista Neto, presidente do colegiado.

A seccional reagiu depois que um advogado foi proibido de se dirigir à tribuna para exercer o seu livre direito de manifestação. No ofício encaminhado ao desembargador Luiz Felipe Silveira Difini, presidente da Corte, o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, disse que a questão é de fundamental importância para a classe dos advogados, pois trata-se de prerrogativa profissional.

Breier sustentou que a norma que embasa a restrição entra em contradição com o próprio Regimento Interno da Corte. É que, ao tratar especificamente do Habeas Corpus, o artigo 279 do Regimento assegura a sustentação oral às partes. Ele citou, também, o artigo 666 do Código de Processo Penal: ‘‘Os regimentos dos Tribunais de Apelação estabelecerão as normas complementares para o processo e julgamento do pedido de habeas corpus de sua competência originária’’.

O caso não ficou só na expedição de ofício. O dirigente também solicitou que a Comissão de Defesa, Assistência e Prerrogativas (CDAP) da OAB gaúcha avalie se houve ou não violação de prerrogativas do advogado que compareceu à sessão de julgamento. “Será aberto um processo para fins de análise e encaminhado para o Conselho Pleno”, anunciou Breier.

Clique aqui para ler a íntegra da Emenda Regimental 01/2016.
Clique aqui para ler o ofício encaminhado ao TJ-RS.

07/04/2016 16:02h | Atualizada em 29/11/2021 15:07h



Notícia anterior

“Ninguém será capaz de aprisionar as ideias da OAB”, reforça Breier em palestra do IARGS

07.04.2016
Próxima notícia

Ordem gaúcha recepciona novos estagiários em Prestação de Compromisso

07.04.2016

Principais notícias

Ver todas