Home / Noticias / 08.12.2021 16:11h

Em ofício a deputados, OAB/RS reitera necessidade de alterações no texto da PEC dos Precatórios

08/12/2021 16:11h

https://bit.ly/3DBmJt4
image-galeria-0

A OAB/RS emitiu um ofício aos deputados federais do Rio Grande do Sul nesta quarta-feira (08), manifestando sua contrariedade ao texto da PEC 23/2021 aprovado pelo Senado Federal e que retornará à Câmara. Diante disso, considerando a nota da OAB/RS já publicada sobre esse tema e a atuação junto aos senadores pela garantia dos pagamentos dos precatórios, a seccional busca novas modificações na Proposta de Emenda à Constituição.

No ofício enviado, o presidente da OAB/RS, Ricardo Breier, reforçou que a tramitação da PEC 23/2021 no Senado Federal já teve modificações importantes requeridas pela Ordem gaúcha: como a retirada das verbas decorrentes do Fundef, no que diz respeito ao pagamento a estados e municípios, do limite do teto, bem como da preferência de pagamentos, que estava, inclusive, na frente dos pagamentos alimentares.

“Externamos nossa total contrariedade a qualquer tentativa de não pagamento dos precatórios, clamando ao Congresso Nacional que não acolha propostas que venham relativizar seu pagamento. Precatórios devem ser honrados”, destacou Breier.

Entretanto, a fim de evitar prejuízos aos que mais necessitam, a OAB/RS atenta para três itens que devem ser alterados no texto final da PEC:

• Retirar o pagamento das RPVs da conta do limite de gastos (teto) estabelecido para precatórios, liberando mais espaço para os precatórios propriamente ditos;

• Retirar todos os precatórios alimentícios (Parágrafo 1º do artigo 100 da CF) e os preferenciais por doença grave, idosos e deficientes (Parágrafo 2º do artigo 100 da CF), do limite de gastos (teto) estabelecido para precatórios;

• Estabelecer garantia de pagamento da reposição inflacionária e remuneração de mora na espera pelos pagamentos, evitando prejuízo e compensando o cidadão pela espera, sugerindo fixar IPCA-E mais juros de mora (conforme poupança), critério com base na repercussão geral 810 do STF.

“Conseguimos importantes mudanças no Senado, mas é fundamental que o Congresso atenda a estes itens ainda não contemplados no texto da PEC, explica o presidente da Comissão de Seguridade Social, Tiago Kidricki.

08/12/2021 16:11h



Notícia anterior

CDAP realizará evento alusivo ao Dia Estadual de Defesa das Prerrogativas da Advocacia

08.12.2021
Próxima notícia

OAB/RS promove 2ª edição da campanha “Cartas de Natal”

09.12.2021

Principais notícias

Ver todas